RECOMEÇO

RECOMEÇO
CLARA LIBE

Páginas

terça-feira, novembro 15, 2011

ENCONTREI ALGUMAS COISAS QUE FIZ ..... QUE AGORA COMPARTILHO COM VOCÊS

Prefeitura Municipal de Campo Verde – Mato Grosso
Escola Municipal São Lourenço

Diretora: Luciana Klant
Coordenadora: Eliane Justino de Almeida


Professora: Carla Aparecida de Mattos Lima
Alunos: 1ª serie “A”
Turno: matutino
Ano: 2008


Projeto: PREVENÇÃO DE ACIDENTES




 Apresentação

         O estudo desse tema faz parte do entendimento do modo de viver do homem em nossa sociedade e das suas necessidades básicas. Os acidentes domésticos são muito comuns, e mesmo com todo o cuidado alguns objetos e situações apresentam riscos, principalmente para as crianças; às vezes esses acidentes são tão graves que podem levar à morte. Os alunos na sua maioria ficam sozinhos em casa sem vigilância dos adultos, pois estes estão trabalhando e passam o dia todo fora.
Justificativa
         Muita gente acredita que os acidentes são fatalidades que fogem ao nosso controle.Porém, à medida que nos antecipamos para evitar sua ocorrência, seus potenciais danos diminuem sensivelmente, chegando mesmo a ser eliminados. E isto pode, perfeitamente, ser feito no dia-a-dia. Por essa razão, é importante que as pessoas saibam quais os acidentes mais comuns e como se originam, para que, assim, possam adotar medidas capazes de evitá-los. Eu professora Carla, junto com meus alunos ouvimos  vários comentários sobre queimaduras das crianças (simples queimaduras), outras tomavam remédios por conta própria, outras levavam choques, caiam de bicicletas ou de arvores, enfim acidentes corriqueiros e dentro desse contexto sugiram vários depoimentos e assim deu inicio ao interesse pelo projeto, devido a importância do conhecimento e prevenção desses acidentes.
Objetivo Geral
Conscientizar a turma sobre situações em que há risco de algum acidente, pois todo cuidado é pouco, muitas vezes os pais sentem dificuldade em falar com os filhos sobre acidentes domésticos, impedindo assim a identificação de os perigos existentes,
Objetivos Específicos
·      Evitar acidentes em casa;
·      Estimular a troca de opiniões em situações polêmica;
·      Oferecer informações que ajudem as crianças a discernir entre atitudes corretas e incorretas;
·      Trabalhar o senso de prudência nos alunos;
·      Conhecer o trabalho do corpo de Bombeiros Nelson Benedito Fernandes
·      Realizar entrevistas com: pais, enfermeiras, bombeiros.
·      Trabalhar o conteúdo integrado às aulas de informática e aula de inglês
·      Analisar produtos que parecem inofensivos, mas pode ser um grande perigo para as crianças;
·      Compreender a importância do nosso projeto para a sua própria segurança
·      Sensibilizar as pessoas quanto aos cuidados de prevenção para evitar acidentes domésticos
·      Reconhecer os tipos de acidentes mais freqüentes no dia  a dia como: fogo,eletricidade, lugares altos , produtos tóxicos, transito ,.








FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

ACIDENTES DOMÉSTICOS

Os pais devem lembrar que para a criança tudo pode ser brinquedo interessante e ela não é capaz de avaliar o perigo. Por isso devem ficar atentos a pequenos objetos como moedas, tampinhas de garrafas, clips, botões e até brinquedos que possuam peças pequenas, que se soltam com facilidade e possam causar engasgos e sufocamento.
Siga algumas regras básicas e transforme sua casa em um lugar seguro.
MEDICAMENTO
Todo medicamento deve ser guardado em lugares altos e, de preferência,trancados com chave. Nenhum medicamento deve ser tomado sem orientação médica.
ESCADAS
As escadas devem possuir corrimão e o piso não deve ser liso. Quando as crianças forem pequenas e principalmente na época em que estão engatinhando ou começando a andar, procure colocar protetores e barreiras em todos os acessos da casa que levem à escada.
JANELAS E SACADAS
Para quem tem crianças em casa e principalmente em apartamentos, devem ser colocadas grades ou redes de proteção. Muitos acidentes acontecem pela falta de proteção em janelas e sacadas.
PISCINA
Crianças nunca devem ser deixadas sozinhas perto das piscinas. Em casa deve ser colocada tela de proteção ou grade em volta da piscina. Toda vez que a criança for nadar, em casa ou no clube, nunca deve deixar de usar bóias.
COZINHA
As pessoas e muito menos as crianças não têm noção do perigo que a cozinha representa, por isso mantenha as crianças sempre longe. Criança não tem medo de fogo, nunca deixe as panelas com os cabos virados para fora do fogão. Cuidado também com vazamento de gás. Verifique sempre os botões do fogão e se as mangueiras do gás estão em ordem.
PRODUTOS QUÍMICOS E MATERIAL DE LIMPEZA.
Por serem produtos altamente tóxicos e, muitas vezes, inflamáveis devem ser deixados em local de difícil acesso para crianças e animais. Nunca permita que crianças mexam com álcool ou outros produtos abrasivos e inflamáveis. A ingestão de certos produtos pode ser fatal.
TOMADAS
Utilize sempre protetores especiais para as tomadas evitando assim choques e outros acidentes.
OBJETOS PONTIAGUDOS OU CORTANTES
Facas, tesouras, chaves-de-fenda e outros objetos perfuro-cortantes nunca devem ser dados às crianças. Mantenha esses objetos em locais fechados onde a criança não tenha acesso.
FERRO DE PASSAR ROUPA
Nunca deixe o ferro ligado com o fio desenrolado e ao alcance das crianças. Além da alta temperatura, é perigoso por seu peso e eletricidade.

        À medida que nos antecipamos para evitar sua ocorrência, seus potenciais danos diminuem sensivelmente, chegando mesmo a ser eliminados. E isto pode, perfeitamente, ser feito no dia-a-dia. Por essa razão, é importante que as pessoas saibam quais os acidentes mais comuns e como se originam, para que, assim, possam adotar medidas capazes de evitá-los.
        Isso é mais do que necessário, é imprescindível, pois, no atual mundo industrializado, metade das mortes de crianças com idade superior a um ano - e quase 70% daquelas que ocorrem na adolescência - são provocadas por acidentes que, em sua grande maioria, poderiam perfeitamente ser prevenidos! Também na velhice, os acidentes são bastante comuns. Ainda que nessa faixa etária eles geralmente não sejam mortais, ocasionam danos graves aos idosos, piorando permanentemente a sua qualidade de vida.
        Ao longo da vida, acidentes podem ocorrer com qualquer um de nós. Mas em algumas faixas de idade - como na infância, adolescência e velhice - eles são especialmente freqüentes.
        Riscos domésticos
        Você poderia pensar que os acidentes não são novidade para quem mora em cidades grandes, considerando que, nelas, o trânsito é difícil e perigoso, a violência ocorre em toda parte e é crescente. A grande surpresa é que, na verdade, a maior parte dos acidentes não ocorre em locais perigosos. Ao contrário, os mais graves acontecem justamente onde as pessoas pensam estar mais seguras: dentro de casa. Seja na cidade ou no campo.
        É em nossa casa, na nossa cozinha, no nosso banheiro, em nosso quintal ou passeio que as crianças, adolescentes e idosos mais se machucam. Vários fatores são reconhecidamente provocadores de acidentes: de um lado, destacam-se aqueles relacionados com as condições físicas e psicológicas das próprias pessoas; de outro, aqueles ligados às condições presentes no meio físico, social e cultural em que elas vivem.
        As crianças e os adolescentes são mais propensos a se acidentar porque apresentam certas características típicas de sua fase de desenvolvimento, que naturalmente parecem conduzi-las aos perigos mais banais. Eles têm grande curiosidade e uma verdadeira atração pelas novidades, o que os leva a explorar constantemente seu ambiente. A estes fatores alia-se a inexperiência e a falta de conhecimentos suficientes para prever e evitar situações de risco.
        Os riscos de acidentes aumentam sobremaneira onde há miséria, doenças e ausência de adultos por perto. Não podemos nos esquecer que na zona rural, na roça e nas regiões em que predominam as pequenas e médias empresas crianças e adolescentes se encontram, desde muito cedo, expostos aos riscos dos processos de .trabalhos.
        Os idosos também apresentam certas características que os levam a ser vítimas de acidentes caseiros. Muito freqüentemente, os sintomas da velhice - como o decréscimo da força física, a falta de atenção e de concentração, a visão e a audição mais fracas, os movimentos mais vagarosos e as reações mais lentas -, marcam o início de uma vida mais dependente de terceiros e mais propensa a quedas e a outros acidentes. Assim, fatores de ordem biológica entrelaçam-se com fatores de ordem cultural para produzir, no idoso, um quadro de depressão, quase sempre acompanhado de sentimentos de insegurança, perda da auto-estima e da autoconfiança. Além disso, a idade avançada costuma se fazer acompanhar pela perda do marido, companheiro ou de amigos, e por restrições sociais outras que podem levar aos sentimentos de solidão e isolamento.
        Para os familiares do idoso a carga emocional e física necessária para se cuidar de alguém nessas circunstâncias pode ser enorme, gerando situações de estresse, depressão, esgotamento nervoso. Todo esse quadro naturalmente se agrava quando o idoso vem a sofrer um acidente.

Prevenir acidentes é melhor do que remediar!

        Importantes avanços na ciência e na tecnologia fornecem, nos dias de hoje, suporte para que mais vidas possam ser salvas e as "seqüelas" se reduzam. Mas continuam elevadas as taxas de mortalidade, bem como os custos pessoais, sociais e financeiros decorrentes dos acidentes de qualquer tipo. Por isso, as medidas básicas de segurança doméstica e de prevenção de acidentes devem ser tomadas por todos os adultos responsáveis, principalmente aqueles que lidam com crianças, adolescentes e idosos.
        Para começar a agir, é bom que se proceda um passeio atento por todos os espaços e cantos internos e externos das moradias e locais de trabalho, imaginando-se que tipo de acidentes ali poderiam ocorrer. Não será difícil descobrir quais os principais cuidados a tomar, por exemplo:

       Quedas e contusões - são geralmente ocasionadas por escadas mal fixadas, muito enceradas ou escorregadias, fora de proporção adequada ou sem corrimão; ou ainda por tapetes soltos e móveis em grande quantidade, com quinas pontudas e dimensões inadequadas ao  tamanho dos cômodos. As imperfeições, buracos e desníveis no piso ou calçada são também responsáveis por muitos tombos de crianças e idosos.
A falta de grades ou redes de proteção nas janelas de casas ou apartamentos e o descuido, às vezes por apenas alguns minutos, têm levado muitas crianças pequenas à morte. Quando não são mortais, as quedas podem significar anos de vida e muito dinheiro perdidos em operações e tratamentos, além de representar, principalmente para os idosos, uma inatividade forçada, haja vista que o receio de cair e novamente acidentar-se acarreta medo de sair de casa e até mesmo de nela se locomover.
Para ajudar na prevenção dos tombos, alguns cuidados devem ser adotados. O banheiro do idoso deve ser adaptado, visando evitar quedas e contusões: o assento do vaso sanitário deve ser elevado; deve sempre existir uma cadeira no boxe do chuveiro e, em especial, deve-se verificar se a porta abre e fecha bem e facilmente, sem trancar.
Sapatos fechados com solas antiderrapantes; o cuidado no abrir e fechar portas, portões e janelas; tapetes bem fixados ao chão; utilização de pisos antiderrapantes; grades ou telas de proteção nas janelas; iluminação abundante na casa e pontos de luz sempre acesos à noite são outras medidas simples que auxiliam a prevenir as quedas, os esmagamentos, as fraturas e contusões domésticas de todos os moradores.

                Cortes e queimaduras – para evitar esse tipo de acidente devem ser mantidos ou guardados, longe do alcance de crianças, todos os objetos cortantes e pontiagudos, ferramentas de jardinagem, de trabalho, eletrodomésticos do tipo multiprocessador, bem como os líquidos inflamáveis (álcool, querosene, gasolina, óleo, etc.) e os utilizados para aquecimento, cozimento e limpeza, além dos líquidos quentes. Em relação às queimaduras, devemos considerar que o fogo, um elemento da natureza, exerce atração e desperta a curiosidade das crianças. Portanto, fósforos, velas acesas, lamparinas e materiais inflamáveis - que freqüentemente originam queimaduras graves - são extremamente perigosos para as crianças.
Crianças pequenas, principalmente as que ainda estão aprendendo a andar, jamais devem ficar perto do fogão pois podem querer subir nele para ver o que há em cima ou podem puxar as panelas pelos cabos, formas muito comuns de crianças pequenas se queimarem gravemente. Alguns expedientes simples e que evitam muitos aborrecimentos futuros são: colocar sempre o leite e água a serem fervidos nas trempes ou bocas traseiras do fogão, voltando os cabos das panelas para as laterais internas e, se possível, jamais trabalhar na cozinha com criança pequena solta por perto.
Igualmente, não se deve esquecer de ensinar os adolescentes a usarem com cuidado o forno e as panelas, principalmente as de pressão, para evitar que estourem. Convém lembrar, ainda, que muitas queimaduras em bebês foram causadas por temperatura elevada da água do banho; assim, é preciso testar o calor da água antes de se banhar a criança.
Outras simples e eficientes medidas de proteção, que evitam cortes e ferimentos, são as escolhas de lugares altos para acomodar os objetos cortantes. Manter o chão limpo de pregos, cacos de vidro, madeiras com lascas também previne os cortes, machucados e perfurações, principalmente em crianças e jovens.
As seqüelas físicas, psicológicas e sociais dos cortes e queimaduras são sempre sérias, haja vista que as cicatrizes tendem a se agravar com o crescimento, ocasionando baixa da auto-estima, vergonha, complexo e rejeição social.
              Afogamentos – geralmente ocorrem em banheiras, tanques, piscinas, poços, bacias e até mesmo em baldes com água. Ao caírem dentro d’água, as crianças muito pequenas não conseguem levantar-se com facilidade. Assim, especial atenção deve ser dada às crianças que estejam sozinhas em ambientes e situações que possam vir a propiciar um afogamento. Alguns cuidados a serem tomados são a colocação de telas protetoras nas piscinas e poços, bem como evitar deixar bacias e baldes cheios de água perto de crianças, sem a supervisão de adultos. Além disso, crianças que vão nadar devem sempre estar fazendo uso de bóias.
                   Choques elétricos - alguns cuidados podem ser observados quanto a tomadas, fios elétricos descascados ou expostos, uso impróprio de aparelhos eletrodomésticos, instalações elétricas velhas, adaptadas e sem manutenção: os riscos de choques em tomadas podem ser reduzidos com a simples colocação, nelas, de um protetor isolante; a instrução clara sobre como utilizar aparelhos elétricos, a guarda destes fora do alcance das crianças e a manutenção periódica do estado da rede elétrica doméstica estão entre os procedimentos básicos para prevenir a ocorrência de choques.
Devemos nos lembrar, sempre, da gravidade dos riscos que a falta de oxigênio causa ao cérebro e da violência de uma descarga elétrica no organismo: ambas podem ocasionar danos irreparáveis, quando não a morte.
                       Engasgos e obstruções - são acidentes bastante comuns, tanto em crianças quanto em idosos. As crianças são muito atraídas por alfinetes, botões, moedas, balas e outros pequenos objetos, que geralmente são levados à boca. Os idosos, por sua vez, vão perdendo a elasticidade da musculatura e, freqüentemente, se engasgam ao engolir, principalmente ao ingerir comida muito seca e/ou em pedaços maiores. Assim, devemos ter muito cuidado com os objetos que possam ser manipulados e engolidos por crianças, bem como administrar uma dieta apropriada para os mais velhos, com alimentos picados em pedaços menores.
                        Intoxicações – causadas por alimentos, remédios, gás carbônico ou outros materiais tóxicos também constituem sérios riscos a serem evitados e, geralmente, as crianças pequenas estão mais expostas a esse tipo de problema, uma vez que levam tudo à boca e são muito curiosas. Assim, devem ser sempre verificadas as datas de validade de alimentos, e se as latas estão amassadas ou estufadas. Remédios, em especial os coloridos, devem ser guardados em lugares altos e fechados. Deve-se, ainda, evitar a presença de plantas tóxicas nos domicílios ("Comigo Ninguém Pode", "Begônia") Por sua vez, o gás carbônico, utilizado em aquecedores de banheiros, fogareiros e fogões de acampamentos, é dificilmente reconhecível por não ter cheiro, cor ou sabor. Portanto, ao fazer uso dele, deve-se ter o cuidado de se manter portas e janelas abertas, observando-se a intensidade do escapamento, já que os efeitos de intoxicação por gás vão desde vômitos, amnésia para fatos recentes, diminuição da audição e da visão até a morte.
 
Extrapolando a titulação acidentes domésticos existem outras situações que também necessitam de especial atenção, tais como:
                        Acidentes e ou doenças adquiridas por meio de animais domésticos - são igualmente freqüentes. Cachorros e gatos devem ser vacinados, devido às suas mordidas e unhadas, que podem causar a raiva humana. Caso existam cães de guarda em casa, é conveniente que não sejam deixados soltos, pois as crianças, adolescentes e idosos poderão ser por eles atacados. O jardim e o quintal das casas devem ser mantidos limpos e capinados, a fim de evitar a presença de aranhas, cobras ou escorpiões.
                       Cuidados no lazer, em especial no esporte – nessas situações é recomendável a utilização de equipamentos de proteção como capacetes, joelheiras e tornozeleiras.
                          Brinquedos - não devemos comprar brinquedos que não sigam as normas técnicas de segurança. Quando de sua compra, deve-se prestar atenção se apresentam arestas cortantes ou pontas, se o material é inflamável ou quebrável, se a voltagem dos brinquedos elétricos é correta, se as peças do brinquedo são pequenas o suficiente para uma criança engoli-las, se há materiais aromáticos que possam ser confundidos com frutas, doces e chocolates e se as tintas usadas descascam, indicando serem tóxicas. Caso apresentem essas características, cuidado: poderão vir a ser um risco para quem vier a brincar com eles. Prevenir acidentes, no caso, é não comprar o brinquedo, por mais atraente que pareça.
        Finalmente, lembramos que uma boa conversa dos pais e parentes com as crianças, os jovens e os idosos continua sendo um dos melhores recursos contra esses e outros acidentes que podem ser prevenidos. Vigiar, ensinar e lembrar, com carinho e às vezes energia, são atividades permanentes que permitem evitar muitos problemas e seqüelas decorrentes dos acidentes ocorridos em casa. E também fora dela!
 





CONTEÚDOS

·      Leitura informativa sobre o tema;
·      Trânsito; na rua todo cuidado é pouco;
·      Auto - medicação;
·      Afogamento;
·      Animal peçonhento;
·      Envenenamento;
·      Brinquedos;
·      Entrevista com os pais sobre o tema;
·      Cuidados no ônibus;
·      Prevenção em casa;
·      Cuidados na escola;
·      O perigo nos rodeia: eletricidade (choque, incêndios) plantas venenosas, animais peçonhentos e animais domésticos entre outros;
·      Problemas envolvendo o tema;
·      Formas geométricas


METODOLOGIA

·      Atividades em sala de aula sobre o tema, através de produção de textos.
·      Leitura informativa sobre o tema
·      Atividades práticas (observação interna e externa na escola)
·      Orientações dos lugares que podem provocar acidentes
·      Visita ao posto de saúde e ao corpo de bombeiro Benedito Nelson Fernandes
·      Cuidados com auto-medicação, envenenamento.
·      Elaborar questionário sobre acidentes envolvendo animais peçonhentos
·      Campanha sobre a prevenção de acidentes no trânsito
·      Montar cartazes de acordo com tema trabalhado
·      Trazer objetos, gravuras, rótulos, plantas, animais para evidenciar o perigo que tais elementos trazem se não nos cuidarmos;
·      Entrevista com os pais;
·      Vídeos relacionados ao tema
·      Atividades realizadas nas aulas de informática

Recursos utilizados

·      Textos informativos
·      Pesquisas em casa e na biblioteca
·      Cartazes
·      Animais peçonhentos (biblioteca)
·      Confecção de mural
·      Vídeos sobre o assunto
·      Livros de pesquisa sobre o assunto
·      Internet
·      Atividades nas aulas de informática
·      Visitas (Corpo de Bombeiros, Posto de Saúde, Mobilização sobre o transito).
·      Palestras


Avaliação

Com o desenvolvimento do projeto, as atitudes das crianças buscam alertar  as pessoas, será observado o    interesse pelo assunto por parte dos alunos ,  trazendo tudo que se relacionava ao tema  como figuras , livros, textos informativos e outros tipos de acidentes domésticos listados por eles.


Cronograma


MESES

ANDAMENTO DO PROJETO

DIAS

AGOSTO
DISCUSSÃO COM AS CRIANÇAS SOBRE O PROJETO
·      Leitura compartilhada sobre o tema

06/08 Á 31/08/2008
SETEMBRO
ATIVIDADES RELACIONADAS AO ASSUNTO:
·      Produção de texto, pesquisas, textos informativos.

01/09 Á 30/09/2008
OUTUBRO
CONTINUAÇAO DAS ATIVIDADES:
·      Assistir vídeos, palestra, visitas (Corpo de Bombeiros, Posto de saúde ).
·      Atividades em sala de aula e sala de informática.
·      Confecção de cartazes informando a escola sobre o tema


01/10 Á 31/10/2008
NOVEMBRO
APRESENTAÇAO DO TRABALHO PARA A ESCOLA
·      Seminário
10 A 14/11/2008






Referencias bibliográficas


·      http://acidentesdomesticos.blogspot.com/2008/03/afogamento-afogamento-asfixia-gerada.html
·      http://www.bombeiros.al.gov.br/prevencao-de-acidentes/prevencao-de-acidentes-gerais
·      http://www.agrinho.com.br/beta/are. php
·      http://vihema.blogspot.com/
·      Projeto acidentes domésticos com crianças (Professora: Catia Mª Alves Pereira) realizado na Escola Municipal São Lourenço – Ano de 2004
·      http://www.abpa.org.br
·      http://criancas.uol.com.br/album/simbolos_perigo_album.jhtm
·      http://http//casadotinoni.blogspot.com